Quinta-feira, 16 de março de 2017 às 8:23 em Novidades
Crianças são assassinadas em ritual de exorcismo na Índia

Os alvos do ritual, um menino de cinco anos e uma menina de três, apanharam e também foram eletrocutadas pelo pai e a avó.

Um ato de exorcismo resultou na morte de duas crianças, na Índia. Os responsáveis pelo ato criminoso foram: Nirmal Kaur (55), avó das vítimas, e o pai delas, Kulwinder Singh (30), foram presos por assassinato na cidade de Kotfatta, região norte do país.

 

Os alvos do ritual, um menino de cinco anos e uma menina de três, apanharam e também foram eletrocutadas. A mãe das crianças, que era contra exorcizar os filhos, foi presa em um quarto para que não impedisse o ato.

Conforme o Último Segundo, a avó convenceu o filho de que o ritual resultaria em um estado de iluminação espiritual e curaria um familiar com deficiência cognitiva. A avó era temida entre a vizinhança por ter “poderes divinos”. Ela estava convicta que poderia expulsar “espíritos do mal” de seus netos.

A prática violenta foi iniciada terça-feira (7), com os pequenos sendo espancados até perder a consciência. Em seguida eles sofreram os choques elétricos. Na quarta-feira (8), Kaur elevou a duração e força das descargas elétricas, fazendo com que as crianças não viessem a resistir.

 

Os vizinhos chamaram a polícia assim que ouviram os gritos. Infelizmente, as autoridades chegaram no local encontrando os corpos já sem sinais vitais. A avó garantiu ao filho que o exorcismo não apresentava riscos a seus filhos e que poderia torná-los a vida.

A mãe das crianças ficou trancada em um quarto durante os dois dias do ritual. Ela foi localizada pelas autoridades em estado grave de saúde e já está recebendo tratamento clínico.

 

Exorcismo divide opiniões

Exorcismo é um dos assuntos que mais geram debates dentro da própria igreja cristã. Católicos e evangélicos até creem que é possível que uma pessoa seja possuída por espíritos maus, mas há quem duvide que isso de fato aconteça.

Entre os cientistas as explicações sobre os casos são geralmente ligadas a problemas psicológicos ou transtornos mentais como a esquizofrenia. Em uma matéria especial sobre o assunto no site TAB, no UOL, o professor de Psicologia da USP (Universidade de São Paulo), Wellington Zangari, comenta como a ciência vê esses casos.

“Mesmo dentro do mundo científico e acadêmico, entre médicos e psicólogos, há uma grande polêmica entre o diagnóstico diferencial”, disse ele.

O alerta é para os casos que são psicológicos e que são tratados como espirituais como os casos de esquizofrenia. Nesses casos o não tratamento dessas psicoses pode ser altamente perigoso.

 

 

COMENTÁRIOS